domingo, 9 de novembro de 2008

Que SAUDADES meu PAI, meu PALAIO ...


Deixaste-me no dia 15 de Outubro de 2007, não te despediste de mim ...
Não trocamos aquela ultima palavra, nem aquele ultimo olhar, nunca mais vi esses olhos azuis, cor do céu que me faziam sonhar...
Como sinto falta daqueles abraços fortes que me davas, quando chegava a casa, que me transmitiam força, segurança e muita paz, nos teus braços meu Palaio,
eu não tinha medo de NADA ...

Tinhamos combinado que só me deixarias quando fizesses 120 anos, lembras-te? ainda faltava tanto tempo ...
Mas foste, como sempre me disseste,
a trabalhar, e na tua Varejola ...
Não devia ter sido assim, com dor e sofrimento,
devias ter partido a sorrir e contente com a tua missão comprida ...

Esta tua filha, jamais TE esquecerá, pois a SAUDADE, é demasiada e a dor que me acompanha está aqui, dentro deste meu coração, mas um dia quem sabe se nos mistérios da vida e da morte não nos voltamos a ver ...


A UM AUSENTE ...

" ... Tenho razão de sentir saudade,

tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.

Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral,
a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu,
enlouquecendo nossas horas.

Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação,
o ato em si,o ato que não ousamos
nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso,
voz modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste ... "

De:
Carlos Drummond de Andrade

13 comentários:

Antonio saramago disse...

Muito bonito!!!
Ele está na sua nova morada, longe das hipócrisias e está feliz...

sonhos/pesadelos disse...

carinho, o pilar da tua essência a ele se deve...
se és o que hoje és, parte deves a ele,e ele lá em cima está orgulhoso da obra que criou!!!
não há palavras a dizer a quem sofre que alivie o pesar, mas como sei que és o pilar Palaio, admiro-te AMIGA e a luz brilha por ti, a luz de quem te deu a certeza de agarrar a vida com unhas e dentes!!!
és uma mãe excelente, esposa dedicada, amiga verdadeira e mulher a 100%... o sonho de qualquer pai..o Inverno há-de chegar forte, mas tb a Primavera cheia de côr...
adoro-te amiga Palaio!!!!!

Daniel disse...

Olá Susana
Sensibilidade e Humildade.
Mais não peço e a ti não tive de pedir. Obrigado por estares aí, aqui, cá dentro...

Obrigado por me ajudares a tirar para fora um pouco da minha mágoa.
Estou certo de que partilharei tambem contigo horas felizes, mas a hoje estou assim:
de Afonso Duarte:
"Não pronuncio nomes detestáveis

E dou com eles às vezes nos jornais;

E nem sequer lhes chamo miseráveis

E foram-no demais.



Morrem em prisão os rouxinóis

De tristes, como tristes violetas,

- Pátria - os últimos heróis,

os que morrem por ti, os teus poetas.
...."

Marco Rebelo disse...

bom poeta :)

sonhos/pesadelos disse...

amiga, só para te dizer que te adoro!!!!
bjs endiabrados

joserios1983 disse...

ola anjo negro! :)

antes de mais obrigado por comentares no meu blog e desculpa não ter comentado o teu mais cedo.
em relação a este texto... de facto eu não sei o que é perder um Pai, mas posso imaginar que nestas situações o chão parece desaparecer... se calhar deve desaparecer mesmo porque muitas vezes o tombo é demasiado grande... mas pareces-me uma pessoa muito determinada e raramente me engano és uma mulher com imensa coragem e força e sei que irás ultrapassar esta perda com a consciência que nada se perde efectivamente... acabaste por ganhar alguém que te protegerá todos os dias e que se enche de alegria por continuares a pensar nele exactamente da mesma forma e com o mesmo amor e dedicação... :)

um beijo, fica bem!

Cöllyßry disse...

É sempre doloroso a partida de quem se ama,porem somente parte o fisico, seu Espirito permanece bem vivo mas melhor e mais perto...

Belissimo poema...

Beijito


ölhår_Îñðîscrëtö...Å ¢µ®¡ö§¡dädë

Antonio saramago disse...

As pessoas que mais amamos, são as que nos deixam mais depressa.
Se Deus é justo, o porquê de certas injustiças?
Porque chama ele para junto dele, quem nós queria-mos que nunca nos deixasse?
É UMA VIDA INJUSTA, ESTA QUE VIVEMOS!

JE disse...

Bastante sentido, bonito apenas e só. Respeitosos comprimentos, JE

André Couto disse...

Senti o teu texto.
Não vou ter a arrogância de dizer que senti o mesmo que tu, ou sequer aquilo que era a tua intenção que sentisse quando, num desabafo do fundo da alma, imagino, resolveste publicar um texto com este conteúdo, até porque não tinhas essa intenção, sei-o.
Digo só que senti.
Não sou apologista de comentar sentimentos. Não o faço. Não o farei. Senti.
Digo só que senti.
Cumprimentos.

Madi disse...

confesso k me vieram as lagrimas aos olhos!! lembra te do k ele sempre te ensinou e da força k te sempre deu, o teu pai nao te abandonou, apenas partiu, mas de certeza k esta la em cima a olhar por ti e pelos teus num lugar bem reconfortante!!
um beijão enorme , admiro a tua força e tu sabes bem dixo!!

Moonwisher disse...

Muito bom texto....muito bom mesmo!Texto sentido...forte...
...tal como o sentimento de perda.

Grande bj...

Anónimo disse...

Obrigado por Blog intiresny